sábado, 02:17

17 jul

Daí falo e falho e me complico e te envolvo e nos prendo em um laço frágil demais. Quero sua cama e suas mãos e sua boca, quero você aqui comigo ou eu aí com você e dias inteiros cheios de horas infindáveis e momentos e cheiros e gostos e calma. Aquelas velhas paredes azuis continuam sendo nossas mais fiéis testemunhas e não revelam a ninguém nossos pecados e nossos silêncios e todo o amor que às vezes nasce e fica ali naquela cama bagunçada. Não tenho mais total controle, meu bem. E quando foi que consegui manter rédeas curtas quando era você quem completava meus dias? Nunca e mais uma vez. Você me pede pra não ir embora, pra não fugir de novo, mas se não posso ter o que quero, pra que insistir? Pra que insistir? Corri demais e acabei aqui de novo e cada vez que volto parece doer mais pra partir. Não quero abrir mão disso tudo e isso tudo nem é meu de verdade, quero devorar, não existe palavra que resuma melhor minhas vontades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: