Arquivo | maio, 2010

domingo, 00:07

30 maio

Estava aqui pensando em fazer um post explicando esse mau humor que assola a nação, mas cadê paciência pra isso?

quinta, 16:08

20 maio

Já não tenho um remetente, querido. Na verdade nunca tive, escrevo pra ninguém ler, escrevo pra depois reler e só, e guardar talvez. Mas o que quero dizer (e não quero realmente) é que não tenho mais ninguém em mente quando sinto a já familiar urgência de escrever. Nos textos mais recentes, nos últimos rascunhos, pensei em uma pessoa a cada palavra, mais ou menos. Tem sido assim, penso em mil e em nenhum e acho desnecessário escrever o que já foi dito por outros. Tudo já foi dito, sentido, lido, escrito, tudo já foi inventado e eu tô aqui, cumprindo meu papel, sendo mais um clichê.

Não tenho mais muito a dizer além da saudade, clássica, típica saudade. Se hoje fico em casa e tenho sono cedo, já tive meus dias de diversão exagerada, de amnésias alcoólicas, de decisões impulsivas e todas essas pequenas loucuras que, hoje, me despertam uma saudade imensa. Essa semana tem sido dedicada à falta que sinto de um ex-companheiro de aventuras. Quando não tô pensando em nada, lembro de alguma maluquice que fizemos juntos. Não consigo dizer nada sobre ele, mas é como se cada momento que eu me lembro tivesse sido irreal de tão incrível… E hoje nem nos falamos. É aí que entra aquela breguice de dizer que tal autor fala por mim, mas preciso terminar dizendo que:

Algumas vezes eu fiz muito mal para pessoas que me amaram. Não é paranóia não. É verdade. Sou tão talvez neuroticamente individualista que, quando acontece de alguém parecer aos meus olhos uma ameaça a essa individualidade, fico imediatamente cheia de espinhos e corto relacionamentos com a maior frieza, às vezes firo, sou agressiva e tal.

15 maio

Eu devo estar ficando louca. Tô mesmo, tô perdendo o contato com a realidade. Meu único compromisso é ir à terapia uma vez por semana. Saio de casa uma vez por semana! Nos outros dias levanto e vou dormir e no tempo entre um e outro fico fazendo nada online. É o que tem pra hoje. E pra amanhã. E depois.

Um dia eu vou sentir falta de todo esse tempo livre, claro,  mas já cansei de todo esse descanso. E o período (normal) de férias nem começou ainda, porra!

Hoje é sábado e eu vou ficar em casa. Sabe por que? Porque eu gastei dinheiro com táxi semana passada e tô só com 3,50 na carteira. Tá achando que é lindo ficar sem fazer nada? Que você ia sair toda noite, beber muito e trepar com meio mundo? Na verdade eu passo o dia todo vendo seriados e twittando. Bonito, né? Grandes bosta.