Arquivo | dezembro, 2008

O Velho e o Moço

23 dez

Amanhã já é dia 24 de Dezembro, Natal está aí batendo na porta. Logo atrás vem o tão clamado, deificado e esperado Ano Novo. Nunca entendi muito bem isso de as pessoas ficarem desejando que o ano acabe logo, pra mim nunca fez sentido algum desejar que o ano atual acabe e que o próximo comece sendo que o próximo é só mais um ano e, daqui a 12 meses, as pessoas estarão mais uma vez pedindo pro ano acabar logo.

2008 foi um ano complicado, como o previsto, já que era meu último ano no Ensino Médio e, portanto, o ano mais torturante. É engraçado lembrar que há 12 meses eu estava aliviada por ter entrado de férias, mas morria de medo do monstro que parecia o 3º ano. É engraçado porque agora que vim, vi e venci (?), posso dizer que foi ruim mesmo, com certeza o pior ano de toda a minha imensa vida de dezessete anos, mas não sentiria tão bem marcado o fim dessa fase se tivesse pulado esse ano. Pensei em dizer que não tem comparação entre a Laura que entrou no Ensino Médio e a que terminou, mas tem sim e é essa comparação que me faz ver que tudo o que aconteceu foi necessário e sentirei imensa saudade, mesmo do 3º ano. Ok, de algumas partes de 2008, não necessariamente do 3º ano.

Foi chegando o final do ano, o fim das provas, o tempo voando, a 1ª fase e… Meu deus, cadê as férias? Passei na 1ª fase, peguei firme nas duas primeiras semanas da maratona pra 2ª fase e relaxei na última, fiz as provas da 2ª fase, não me saí tão bem quanto queria, mas espero que tenha sido bem o suficiente. Ou não. Não voltei pro colégio pra primeira parte da maratona pra UnB, porque meu corpo estava moído e precisava de descanso, e aí eu me vi na situação de deificadora do futuro e me deixei dizer alguns “tomara que esse ano termine logo”, porque o fim desse ano não é só o fim de mais um ano, é o fim de um ano marcante e que eu quero que fique logo pra trás. Os “ares do novo ano” vão me fazer muito melhor do que me fizeram nos anos anteriores, já que agora eu espero por isso.

Só quero um feliz final de ano para mim e para todos, deificadores ou não de anos futuros, e não vou esquecer de curtir um bocado esse restinho de 2008. E que venha 2009 porque, independente de resultados, estou aí, aberta a novas aventuras! 🙂

PS: O título do texto foi mesmo inspirado pela música homônima de Los Hermanos, mas o conteúdo não tem nada a ver.

É de sonho

3 dez

Como toda (o) terceiranista, ainda mais em final de ano, estou em fase de decisões. Decisões sérias demais pra um ser inconstante de 17 anos tomar, mas isso é assunto batido e imutável e não é sobre isso que quero falar hoje.

Passei para a 2ª fase do Vestibular da UFG, ou seja, 50% do caminho já está andado e agora podem acontecer duas coisas: 1) Eu passar na 2ª fase e conseguir uma vaga no curso de Comunicação Social – Jornalismo na Federal de Goiás, o que não é ruim, ou 2) Eu não passar na 2ª fase e parar aqui mesmo, no meio do caminho, o que também não é ruim.

No 1º e 2º ano eu não quis nem pensar em vestibular, quis mais me ferrar no colégio dar uma de Ferris Bueller e curtir a vida adoidado. Cheguei no 3º ano com muito medo e nenhuma noção do que viria pela frente, enquanto todos tinham já no começo do ano o curso decidido e pensavam em quais univerdades prestar, eu não sabia nem o que significavam as siglas. Ainda no começo do ano uma amiga me disse que queria prestar na UnB e se mudar para Brasília (lógico) e eu, que não tinha objetivo algum e não via nenhum motivo para me apegar à Goiânia, simpatizei pelo sonho dela. De repente Brasília se tornou a cidade mais bonita do mundo e a UnB a melhor universidade. Juntei o útil – meu pai disse que o mais distante que eu poderia ir seria Brasília – ao agradável – a UnB é uma das melhores universidades do país para muitos cursos, incluindo o meu – e pronto! Meu mais novo sonho de infância: cursar Comunicação Social – Jornalismo na UnB.

Agora, final do ano, Ensino Médio já terminado (thank God!), dois vestibulares feitos (UFG e UEG) e um em a ser feito em Janeiro (UnB), a dúvida voltou BEM forte: UFG ou UnB? Ignoremos a UEG, nem saiu o resultado ainda, mas meu interesse nela não é nada perto do interesse nas outras duas. Com o meu nome na lista de aprovados na 1ª fase da Federal pude ver as coisas de outra maneira, afinal… E se eu passar na 2ª fase? Eu sei, simplesmente tenho certeza, que não passo na UnB agora em Janeiro. Sei que pra passar na UnB terei que estudar, pelo menos, mais seis meses até o vestibular do meio do ano e mesmo assim pode ser que eu não consiga. Por mim, só poderia haver as seguintes opções pra esse final: 1) Eu não passo na 2ª fase da UFG nem na UnB, me obrigando a fazer cursinho de qualquer forma, ou 2) Eu passo na UnB (nesse caso não importa UFG). Mas, infelizmente, eu não mando nas opções e existe uma terceira: 3) Eu passo na UFG, não passo na UnB e me sinto imensamente tentada a desistir do meu sonho e ficar com a vaga já garantida aqui.

Minha força de vontade nunca foi lá essas coisas e não é qualquer um que consegue dizer ‘não’ a uma certeza porque sonha com algo mais difícil. Não gosto de tomar decisões, nunca gostei, e as decisões estão se tornando cada vez mais difíceis… Mas chega de suposições por hoje, por enquanto fico feliz se me desejarem sorte tanto para o vestibular da UnB em Janeiro, quanto para a 2ª fase da UFG que é daqui uma semana. Wish me luck! 🙂