Carta a alguém-ninguém

26 jun

Querida,

Lembre-se de não guardar tanto ódio assim, o mundo não está lhe apontando armas e você continua com a mania de querer se proteger de viver. Pode ser clichê, mas as cicatrizes que vêm dos tombos são a história que contará para os que conhecer no futuro, o que dirá sobre seu passado se continua construindo uma muros para se esconder? Acha mesmo que já sofreu demais, que tua auto-estima precisa sempre se manter nesse limite baixo que escolheu e nem vê a verdade: és jovem.
Veja as pequenas coisas com os olhos de criança que ainda não lhe foram roubados pelo dia-a-dia, pela correria. Sinta o vento, a chuva, o sol! Não se esconda por trás dessa janela, não se esconda por trás de seus falsos sentimentos tão previsíveis, não se esconda por trás da covardia que insiste em manter. Uso palavras duras para quebrar o vidro de seu drama-criado, drama digno de novelas mexicanas.
Por que espera tanto para dizer? E por que, mesmo dizendo, usa de ambigüidades e de inclarezas? Pra que tanto medo de viver? És jovem, és jovem! Admita que a culpa da sua não-vida não é do cansaço ou das obrigações recém-impostas, admita que mantém os mesmos problemas porque é mais fácil já saber as respostas, admita que tem medo de enfrentar o que é novo, admita que se acovardou porque espera sempre que os outros saibam tanto de você quanto você mesma.
Uso da minha intimidade, e de tudo que sei sobre o que se passa por trás das palavras que não consegue dizer, para falar diretamente à dor adolescente que mantém dentro de ti. Sei da tua sede pelos sentimentos reais e de sua incessante busca por estes, sei de todas as vezes que inventou e de todas as vezes que cruzou com olhares que lhe pareciam os certos, sei de todas as vezes que quebrou seu próprio coração só para não dizer que não o usa. Sei de teus deslizes e do lado leopardo que guarda para poucos, sei das palavras doces que é capaz de dizer e das sinceridades duras que exerce às vezes, conheço tuas manias e teus sorrisos, teus abraços e tuas lágrimas. Conheço teu interior e o admiro, conheço teu exterior e o admiro.
Pare diante do espelho e se veja, feche os olhos e se veja, essa é você. Perceba que não é assim tão necessário o outro para ser feliz, tente deixar o “destino” agir, largue essa caneta, pare de planejar tudo.

Anúncios

Uma resposta to “Carta a alguém-ninguém”

  1. L.G.B.Paiva junho 26, 2008 às 9:32 pm #

    Uma das melhores filosofias “se enxerga” que eu acho, é a do Tyler Durden (Clube da Luta). Tudo bem que é uma coisa auto-destrutiva, mas se vc pegar as partes mais “puxao de orelha” que ele diz, você realmente se enxerga.

    É quase o inverso daquelas revistas de beleza, que tenta te fazer feliz e bonita mostrando pessoas mais felizes e mais bonitas que voce (mesmo que nao sejam).

    Aquele texto “Usem Filtro Solar” também é muito bonito, pena que não é funcional.

    Então, quando você estiver com medo do que as pessoas pensam, ou estiver se sentindo péssima consigo mesma, lembre-se do que o Tyler diz:

    “Você não é especial, você não é um unico e lindo floco de neve, você faz parte da mesma matéria em decomposição que o resto do mundo.”

    Se quer uma dica mais precisa, ouça a música “Dust Brothers – This is Your Life”.

    In Tyler we Trust!

    ;*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: